Entenda como a tecnologia pode ser um aliado na educação dos filhos

Sim, a tecnologia pode educar os filhos. Não há mais como evitar que as crianças dominem smartphones, tablets, computadores e tudo o que há de mais moderno em termos tecnológicos. Essa já é uma realidade que convivemos diariamente e lutar contra isso é um esforço desnecessário. Ainda assim, muitos enxergam a situação com maus olhos, pois consideram a tecnologia como uma vilã do aprendizado. Mas precisamos entender que é possível – e necessário –  aliar tecnologia à educação.

 

Nem todo jogo ou aplicativo traz um impacto negativo. Pelo contrário, hoje existe uma crescente preocupação em criar produtos que auxiliem no desenvolvimento das crianças. Assim, ao invés de proibir o uso de algum dispositivo tecnológico, é preferível que os pais se atentem ao conteúdo que seus filhos estão consumindo na internet.

 

A infância é a época em que personalidade e valores são moldados. Por isso, tudo aquilo que as crianças experimentam, seja no mundo real ou no virtual, deve ter algo de positivo. Sendo assim, é importante se perguntar: “Esse jogo/app/rede social traz alguma mensagem positiva ao meu filho?”. Se a resposta for negativa, aí sim há um motivo para a preocupação e alerta, pois todo conteúdo precisa ter um valor agregado a ele.

 

É importante saber que um produto educativo não significa necessariamente um produto chato ou pouco envolvente. Hoje em dia, temos inúmeros serviços tecnológicos que, além de ensinar, trazem entretenimento, diversão e conquistam as crianças.

 

Mas é fundamental que os pais estejam sempre presentes e próximos aos filhos enquanto eles se divertem com a tecnologia. Isso permitirá que a família compreenda exatamente qual conteúdo está sendo acessado e verifique que tipo de mensagem ele traz. Além disso, essa atitude proativa facilitará a orientação para o uso correto da tecnologia, além de melhorar o relacionamento com os filhos e aumentar a confiança deles.

tecnologia

tecnologia e educação

 

Portanto, o papel dos pais não deve ser de proibidores da tecnologia, mas de mediadores desses recursos. Cabe a família entender qual é o significado das inovações e ter em mente que elas não significam sempre um prejuízo. Se lutar contra as telinhas pode ser inútil, cabe a nós analisar que tipo de valor está implícito em cada produto e passar esse conhecimento aos nossos filhos.

*Autora: Fabiany Lima, mão de gêmeas, escritora de livros infantis e criadora do aplicativo TIMOKIDS, que oferece livros e jogos socioeducativos com ilustrações em 3D narrados e legendados em 4 idiomas e que estimula a interação da família. Link: https://timokids.com.br/

timokids-logo@2x

 

Facebook Comments