As pessoas buscam conquistas materiais, pessoais, satisfação e prazer em desfrutar  daquilo que, com esforço, empenho e dedicação incorporaram a sua vida e de sua família. Nada mais justo concordam?  Os bens materiais disponíveis também  somente poderão servir na plenitude se a tranquilidade e harmonia com os demais valores da vida estiverem  ajustados. De que vale um patrimônio robusto e conforto sem a devida assistência à saúde e equilíbrio físico e mental para o aproveitamento das benesses conquistadas ao longo de uma vida de trabalho?   Mas nem sempre os planos se materializam como previsto nos cenários mais otimistas, pois imprevistos acontecem.  Porém, o que muitos desconhecem e que existem formas para se proteger dos riscos e situações que ocorrem subitamente em nossas vidas, cujos efeitos poderão comprometer as conquistas materiais e estabilidade dos seus negócios e de sua família.   Sim, existem meios seguros que garante maior tranquilidade frente aos infortúnios que todos estamos sujeitos, a resposta está em uma palavra: SEGUROS.

Um dos conceitos principais que norteiam a essência do seguro é a ajuda mútua,   conhecida como princípio do mutualismo, o qual consiste  em pessoas, empresas, associações e demais atores que apresentam interesses de proteção comum, contribuírem com parcela de valor reduzido para a construção de ativos financeiros que estarão à disposição daqueles que precisarem em decorrência de um  sinistro (confirmação do risco previsto através de um acidente ou evento). Nesse ambiente, quem administra tais ativos, mediante regras, princípios e normas controladas pelo próprio Governo, são as conhecidas Seguradoras, que são empresas constituídas para administrar esses recursos de terceiros interessados, e compartilham parte da distribuição dos ativos quando os segurados necessitam quando da ocorrência de eventos previstos nos contratos.  Todos os anos as seguradoras devolvem em forma de indenização aos segurados bilhões de reais àqueles que contrataram seguros diversos.

E por que esse panorama é importante em nossas vidas?  Alguns exemplos:

– Você suportaria, sem comprometer seu patrimônio, indenizar vítimas de acidente automobilístico que eventualmente causas sequelas ou óbito às pessoas inocentes ou imagina que tal situação ocorre somente com outras pessoas? Ontem mesmo, um cidadão de bem enfartou ao volante atropelando dez pessoas além de destruir uma farmácia em São Paulo. Eventos como este, ocorrem dezenas de vezes todos os dias. No caso, havendo um seguro com cobertura de responsabilidade civil  contratada juntamente com o seguro do automóvel, as vítimas e o causador certamente seriam indenizadas, respeitando os limites do contrato.  Não seria o caso de investir algo em torno de 10% do valor do veículo em proteção para o proprietário e terceiros inocentes?  A inexistência do seguro certamente provocará a absorção dos prejuízos pelo causador que dificilmente terá condições de suportar com recursos próprios;

– As pessoas conseguem imaginar, em caso de ausência repentina do provedor de uma família, como os familiares conseguirão se sustentar sem o rendimento habitual da fonte principal de renda daquele domicílio?

A solução é dispor de um seguro de vida, que poderá manter as condições atuais de bem estar dos dependentes, cônjuge e demais envolvidas na estrutura pelo período necessário para o reestabelecimento dos ganhos produtivos através dos demais membros que anteriormente eram beneficiários da produção laboral do provedor.  Se os seguros patrimoniais possuem enorme importância, os demais destinados às pessoas representam essencial proteção,  ainda que o titular não se ausente, mas deixe de trabalhar por motivos de invalidez em variadas causas.  Sempre o melhor caminho é procurar a orientação de um corretor de confiança para orientações específicas;

– E nas catástrofes naturais?   Nos desastres aeronáuticos?  A inexistência dos seguros diversos  limitaria a recomposição das perdas e seus efeitos são imensuráveis para toda a coletividade.

Sem procurar alongar-me, muitos outros exemplos poderão ser elencados em nível empresarial,  e também pessoal.  Não existem dúvidas sobre a nobreza da “Instituição Seguro” que produz efeitos no equilíbrio da sociedade, reestabelecendo famílias, empresas e pessoas em situações amplas, nos momentos mais difíceis e complicados que poderemos enfrentar.

A proteção securitária conduz  a atitude consciente,  valorizando a visão de grupo com amplitude social.

Contratar seguro é exemplo de maturidade e compromisso social!

*Autor: Marcello Brancacci, Administrador, Pós-Graduado e MBA , possui  25 de vivência de atuação no mercado Segurador.

baba g

 

Facebook Comments