Pais prevenidos, crianças seguras. Evite Acidentes!

No Brasil os acidentes são hoje a principal causa de morte de crianças de um a 14 anos. Segundo dados do Ministério da Saúde, todos os anos 3,8 crianças morrem e outras 117 mil são internadas por motivos acidentais no país. Mas, estudos demonstram que 90% desses acidentes poderiam ser evitados com medidas simples de prevenção.

Para ajudar a mudar essa realidade, a ONG Criança Segura disponibiliza diversas dicas para evitar acidentes com crianças. Nesse mês de Dezembro, ela lançou a campanha “Um olhar muda tudo”, uma campanha de prevenção de acidentes infantis, que tem como foco o olhar CRIATIVO da criança.

Nas próximas semanas, uma série de vídeos serão lançadas abordando os diversos tipos de acidentes. Fique ligado em nossas redes sociais para não perder nenhum. Essa ação foi patrocinada pela Brasil Foundation.

Um Olhar Muda Tudo

Acompanhe a Criança Segura no youtube: http://bit.ly/2l65kGb


Leia também:


ONG Criança Segura

A Criança Segura é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, qualificada como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), de atuação nacional.

Sua missão é promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos de idade. Atualmente, essa é a principal causa de morte da população dessa faixa etária no Brasil. Entretanto, 90% desses acidentes podem ser evitados com medidas simples de prevenção, que envolvem divulgação de informações, mudança de comportamento e no ambiente e implantação de políticas públicas.

No Brasil, os acidentes, ou lesões não intencionais, são hoje a principal causa de morte de crianças na faixa etária de um a 14 anos e representam uma séria questão de saúde pública no país. De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 3,8 mil crianças brasileiras morrem por ano vítimas de acidentes e, em média, 117 mil são hospitalizadas só na rede pública de saúde por esse motivo. Em todo o mundo, 1 milhão de crianças morrem por causas acidentais anualmente, o que é considerado uma epidemia global, segundo a Safe Kids Worldwide.

O trauma gerado por um acidente não afeta somente a vítima, mas toda a sua família. Alguns pais, quando um filho sofre uma lesão ou morre por causa acidental, se separam e outros acabam tendo que se ausentar do trabalho para cuidar da criança que está hospitalizada, o que reduz a renda familiar. Além disso, a criança que sofre um acidente e tem que se ausentar da escola por muitos dias, perde conteúdo e o convívio com os colegas, o que pode impactar negativamente seu desempenho escolar e, consequentemente, suas oportunidades na vida adulta.


Socorro, meu filho não estuda!

Clique AQUI e e descubra como ser o agente transformador da “vida escolar” do seu filho(a)!


Entretanto, apesar de muito comuns na infância e de o senso comum tratá-los como algo inevitável, os acidentes não precisam necessariamente acontecer. Estudos americanos afirmam que 90% dos acidentes podem ser evitados com medidas simples de prevenção, como não deixar produtos tóxicos ou inflamáveis ao alcance das crianças, não deixá-las sem supervisão em piscinas, protegê-las devidamente quando forem passageiras de algum veículo, entre outras ações.

Essa é a principal motivação do trabalho da Criança Segura: a certeza de que com a divulgação de informações, mudança de comportamento e no ambiente e a implantação de políticas públicas a grande maioria dos acidentes podem ser evitados.

Em sua atuação, a organização aborda os diversos tipos de acidentes que mais acontecem com crianças, desde os mais simples, como uma queda em um parquinho, até os mais complexos, como a colisão de veículos em alta velocidade.

É imprescindível que todos tenham em mente que as crianças não são miniaturas dos adultos. Seus corpos são mais frágeis e ainda estão em desenvolvimento. Por possuir a cabeça proporcionalmente mais pesada que a de um adulto, o centro de gravidade de uma criança é mais alto, o que influencia diretamente no seu equilíbrio. Crianças têm menor tolerância a lesões, pois a severidade de um machucado depende da capacidade de absorção de energia que um corpo tem – quanto menor o corpo, menor essa capacidade. Também é pequena a habilidade das crianças de reconhecer perigos. Até os cinco anos, elas ainda não compreendem as relações de causa e efeito, portanto podem se colocar em situações perigosas simplesmente por não compreenderem os riscos, como engatinhar para vãos de escadas ou puxar o cabo de uma panela no fogão.

É por tudo isso que a Criança Segura realiza seu trabalho, para cuidar e garantir que nossas crianças não sofram desnecessariamente.

*Autor: Leandro Ziotto, pai do Vinícius e co-fundador do 4daddy.

Facebook Comments