A importância do Teste do Pezinho

Campanha celebra o Dia Nacional do Teste do Pezinho (6/6) e relembra que realizar o exame no período correto é essencial para o futuro dos bebês

A Unisert (União Nacional dos Serviços de Referência em Triagem Neonatal) e a APAE DE SÃO PAULO idealizaram a campanha Junho Lilás para destacar a relevância do Teste do Pezinho: um exame rápido, gratuito e obrigatório por lei, que detecta doenças antes de os sintomas aparecerem. O Dia Nacional do Teste do Pezinho é celebrado em 6 de junho e a cor lilás foi escolhida por representar tranquilidade e transformação.

Realizado a partir da coleta de gotinhas de sangue do calcanhar do recém-nascido, o exame é fundamental na prevenção da Deficiência Intelectual e na melhoria da qualidade de vida das crianças. “Para que a prevenção seja possível, o exame deve ser realizado após as primeiras 48 horas do nascimento e até o 5º dia de vida do bebê”, afirma Sônia Hadachi, supervisora do Laboratório do Serviço de Triagem Neonatal da APAE DE SÃO PAULO.

Com a campanha Junho Lilás, que contará com diversas ações no mês, a Unisert e a APAE DE SÃO PAULO buscam conscientizar a sociedade de que o Teste do Pezinho é o primeiro passo para definir o futuro do bebê. “Queremos chamar a atenção de futuros pais e profissionais da Saúde de que o exame, além de determinante, é um direito de toda criança”, declara Aracélia Lúcia Costa, superintendente-executiva da APAE DE SÃO PAULO.

Dentre as iniciativas, estão a parceria com as estrelas da campanha Karina Bacchi, Naiumi Goldoni e Maria Cecília (da dupla Maria Cecília & Rodolfo) e um filme sobre a importância do Teste do Pezinho com a participação do cantor Tiago Abravanel e do grupo Palavra Cantada. As ações também têm o apoio da pediatra Ana Escobar, embaixadora da área da Saúde da Organização; da Prefeitura Municipal de São Paulo; da In Loco Media com iniciativas de geolocalização; e da Agência Plug, que criou a campanha.


Leia também:


detox digital

Seu filho não sai do celular e computador. Aprenda a como vencer essa barreira. Clique aqui!

Referência no Teste do Pezinho

Pioneira na realização do exame no País, A APAE DE SÃO PAULO implantou o Teste do Pezinho no Brasil em 1976 e, desde 2001, é um Serviço de Referência em Triagem Neonatal (SRTN) credenciado pelo Ministério da Saúde. Atualmente, a Organização é responsável pela realização do teste de 77% dos bebês nascidos na capital paulista, 64% dos recém-nascidos do Estado de São Paulo e 16% do total de crianças triadas no Brasil por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e de maternidades e hospitais privados.

O Laboratório da APAE DE SÃO PAULO é o maior da América Latina em número de exames realizados e desde a sua implantação triou mais de 15,5 milhões de crianças brasileiras. Apenas em 2016, foram cerca de 2,5 milhões de testes realizados. A Organização também trabalhou sempre pelo desenvolvimento e obrigatoriedade do exame. Embasado pela Constituição de 1988, o exame se tornou obrigatório e gratuito em todo o território nacional em 1992. Em 2001, influenciado pela APAE DE SÃO PAULO, o Ministério da Saúde instituiu o Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN).

A Organização também tem um sistema de Busca Ativa, que realiza a convocação imediata de todos os recém-nascidos que apresentam alteração no Teste do Pezinho. Caso seja solicitada a recoleta, é fundamental fazê-la imediatamente. A APAE DE SÃO PAULO possui ainda Ambulatório de Triagem Neonatal com equipe interdisciplinar para orientação e tratamento dos casos confirmados.

A APAE DE SÃO PAULO acredita que prevenção é a melhor forma de cuidar da saúde do bebê e, por isso, oferece, além do Teste do Pezinho Básico, que detecta seis doenças, o MAIS e o SUPER, que juntos identificam até 48 doenças. Em 2016, também foi incorporada a triagem para Imunodeficiências Combinadas Graves (SCID) e Agamaglobulinemia (AGAMA), doenças genéticas do sistema de defesa, somando 50 doenças.

– Teste do Pezinho Básico: é obrigatório e gratuito em todo o país. Identifica, no Estado de São Paulo, as seguintes doenças: Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Fibrose Cística, Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias, Hiperplasia Adrenal Congênita e Deficiência de Biotinidase.

– Teste do Pezinho MAIS: além do que se detecta no teste Básico, inclui mais quatro diagnósticos: Deficiência de G-6-PD, Galactosemia, Leucinose e Toxoplasmose Congênita.

– Teste do Pezinho SUPER: é o único a triar 48 doenças e um dos mais completos testes de Triagem Neonatal existentes no mundo. Ele inclui em seu painel, além das dez doenças identificadas nos Testes do Pezinho Básico e MAIS, outros 38 diagnósticos realizados por meio da avançada tecnologia de Espectrometria de Massas em Tandem – MS/MS.

– Teste do Pezinho para SCID e AGAMA: detecta um grupo de doenças genéticas graves nas quais não há produção de células de defesa T e/ou B nem de anticorpos protetores. O teste pode ser realizado associado a qualquer dos testes acima ou a critério médico.

 

Teste do Pezinho em números

(fonte: Relatório de Atividades APAE DE SÃO PAULO 2016)

Bebês triados em 2016 pela Organização 378.121
Exames realizados em 2016 pela Organização 2.504.878
Impacto do número de casos positivos de doença em 2016 734
% de satisfação dos clientes com a prestação de serviço
(referência Pesquisa de Satisfação Qualidade Norma ISO 9001)
98%

Fonte: APAE SP

 

 

Facebook Comments