Dicas de livros para falar sobre emoções com nossos filhos – Part. 1

Desempenhoprodutividade e assimilação de conceitos parecem nortear a educação das crianças no Brasil, principalmente quando o objetivo final é passar em concorridíssimos vestibulares e entrar em uma prestigiada universidade.

Por trás das aparentes objetividade e concentração convocadas para atingir esse resultado, escolas, pais, professores e alunos precisam lidar com a imprevisibilidade e os graves estragos do bullying, que atinge uma porção fundamental e bastante negligenciada dos seres humanos: as emoções.

Enquanto continuarmos ignorando o papel decisório das emoções na vida de cada sujeito, mais perguntas ficarão sem resposta ou incompreensíveis, principalmente diante das dificuldades que a vida certamente vai trazer.

Em pleno 2016, temos acesso a informações e experiências como nunca tivemos antes, e expressar emoções permanece carregado de sentido negativo. Em um ano tão decisivo para a política nacional como este, ainda ouvimos frases como apelar para o emocional ao se referir à atitude de lideranças perante algum desafio profissional. Se um sujeito faz uso do seu emocional, então ele “apela”? Se expressar emoções é visto com maus olhos ou despreparo, como seremos capazes de reconhecê-las e lidar com seus desdobramentos mais extremos, como uma depressão?

Conversar com crianças sobre emoções deveria ser tão natural quanto assegurar a vacinação, recomendar que se beba bastante água ou desenvolver o hábito de lavar as mãos antes das refeições. Mas, justamente por não ser incentivado, falar de raiva, tristeza, egoísmo, ódio, ressentimento, inveja ou empatia, por exemplo, não é das missões mais simples.


Leia também:


Felizmente, a arte, por meio da literatura, pode dar uma inestimável ajuda. O HuffPost Brasil separou 18 livros para falar de emoções com crianças e adolescentes:

Ernesto

dicas de leitura

Blandina Franco 
Ilustrações de José Carlos Lollo

Companhia das Letrinhas

Dos mesmos autores de Quem Soltou o PumErnesto trabalha as diferenças e as possíveis maneiras de se lidar com ela, sendo que uma, infelizmente bastante frequente, é a exclusão. Com um personagem “esquisito”, isolado por ser diferente, o livro propõe que se pense sobre o que é dito sobre outras pessoas e se Ernesto merece mesmo toda essa solidão. Leitura essencial para o momento de opiniões polarizadas e radicais que vivemos.
Emoções trabalhadas: solidão, tolerância com a diferença, o efeito das fofocas, preconceito

Tromba Tromba

dicas de leitura

David McKee
Pequena Zahar

Considerado um clássico da literatura infantil inglesa, Tromba Tromba oferece uma lição sobre preconceito e tolerância das diferenças a partir da história de elefantes que rivalizam na selva.
Emoções trabalhadas: preconceito, tolerância, violência, respeito à diversidade

Harvey

dicas de leitura

Hervé Bouchard 
Ilustrações de Janice Nadeau

Pulo do Gato

O garoto Harvey fica sem chão quando o pai morre e precisa lidar com uma série de sentimentos desconhecidos, dolorosos e desoladores. Uma delicada narrativa sobre a importância do luto.
Emoções trabalhadas: perda, saudade, luto, dor

*Autor: Leandro Crespo Ziotto, pai do Vinícius e co-fundador do Portal 4DADDY.

camisetas 4daddy

Facebook Comments